O COMEÇO DA RESENHA teste

Tudo começa em 1938, na cidade de Vitória de Santo Antão, em Pernambuco. Joel Cândido Carneiro, Severino Ferrer de Moraes e José Ferrer de Moraes se juntam e empreendem na fabricação de vinagre e bebidas, além do engarrafamento de aguardente de cana fornecido pelos engenhos locais.

DE ENGENHO À INDÚSTRIA

A empresa adquire o engenho Arandú do Coito, depois chamado Engenho Pitú, e começa a produzir sua própria aguardente de cana em destilaria. Com a importação de novas máquinas, industrializa o engarrafamento e recebe o nome "Indústria de Aguardente Pitú", uma referência ao nome do engenho e ao camarão de água doce bastante comum na região.

A MELHOR QUE TODAS. ATÉ HOJE.

Entre os anos 50 e 70, a produção não para de crescer. A marca se consolida e está cada vez mais presente nos bares e botecos do país. É nesse período que o artista plástico Henrique da Holanda presenteia os amigos fundadores da empresa com o primeiro rótulo da bebida: "Pitú - A melhor que todas".

INÍCIO DA EXPORTAÇÕES

A Pitú começa a ser vendida e divulgada no exterior. Começando pela Alemanha, um parceiro estratégico que serve como porta de entrada para que a branquinha fosse apreciada em toda a Europa.

CASA NOVA

Para dar conta do crescimento na produção, a Pitú adquire mais equipamentos e inaugura novas instalações às margens da BR 232, onde funciona até hoje, em Vitória de Santo Antão.

A HORA DA LATA

Sempre pensando nas melhores formas de proporcionar momentos de descontração, Pitú inova e lança a primeira aguardente envasada em recipiente metálico: a famosa latinha de Pitú.

FOCO NA COMERCIALIZAÇÃO

Na década de 90, a empresa encerra suas atividades de destilaria para focar no negócio da Comercialização da Cachaça, criando um programa de acompanhamento da qualidade e profissionalização dos fornecedores. É nesse tempo que é lançada a Pitú de 1 litro.

UM LANÇAMENTO ATRÁS DO OUTRO

Chegam às prateleiras e bares a Pitú Gold, cachaça envelhecida em barris de carvalho, a Pitú Cola, o vinho Do Frei e a Catuaba Galvão. No ano de 2005 é a vez da Pitú Limão. Mais tarde, em 2007, é lançada a vodka Bolvana, deixando nosso portfólio ainda mais completo.

ENVELHECIDA NÃO, BEM VIVIDA.

Em seu momento mais nobre, Pitú comemora 75 anos e lança sua cachaça extra premium, a Vitoriosa. Mais que uma homenagem a trajetória da marca e à Vitória de Santo Antão, uma celebração à vida.

80 ANOS DE RESENHA.

Em homenagem aos 80 anos de resenha e momentos de alegria, Pitú lança mais uma lata colecionável, desta vez com uma estética retrô.

  • 1938

  • 1945

  • 1950

  • 1970

  • 1974

  • 1980

  • 1990

  • 1998

  • 2013

  • 2018

Fábrica

Localizada em Vitória de Santo Antão (PE), a Engarrafamento Pitú Ltda conta com um parque fabril de 18.500 m² de área construída e os mais modernos equipamentos tecnológicos para produção, engarrafamento e armazenamento dos produtos PITÚ.

Centro de visitações

O Centro de Visitações da Pitú é um espaço criado para retribuir o carinho dos Pituzeiros que, mais que consumidores, são verdadeiros fãs da marca. Lá você fica por dentro de todos os detalhes da nossa história, conhece o nosso processo de produção e, de quebra, ainda leva pra casa uma lembrancinha ou produto exclusivo da nossa loja. Horário de funcionamento: SEG a SEX, 09h às 16h30 / SÁB 09h às 13h.

SUSTENTABILIDADE

Nosso propósito é garantir momentos de diversão e alegria para deixar a vida mais leve. E isso não faria sentido sem estarmos alinhados com práticas ecológicas eficientes. A Pitú funciona com processos 100% verde, que vai do reaproveitamento de resíduos ao tratamento e reutilização das águas.

TRATAMENTO DE ÁGUA

Toda a água utilizada para a higienização dos nossos vasilhames é captada do Rio Tapacurá, passando por tratamento químico e mecânico.

SEPARAÇÃO DE MATERIAL

Vidro, metal, plástico, papelão, iodo, madeira e muitos outros dos materiais provenientes do nosso processo fabril são separados para reciclagem junto à cooperativas e parceiros responsáveis.

QUEIMA DE GÁS NATURAL

Captação e utilização de combustível para as caldeiras de vapor d'água, apresentando menor teor de impacto ambiental com relação à outros combustíveis.